terça-feira, 1 de março de 2016

DIVIDO, MAS TEM QUE DEVOLVER!

TERAPIA DE CHOQUE


MÉNAGE À TROIS

Ana* nunca havia saído com outra mulher, mas percebi que tinha bastante interesse em Júlio*, um amigo com quem eu saía frequentemente. Já tínhamos uma daquelas amizades bem coloridas, mas nada sério. Nunca tive intenção de namorá-lo e acredito que o mesmo da parte dele em relação a mim. 
Segundo ela mesma me disse, durante nosso encontro, Júlio deu uma sumida do mapa depois que começou a sair comigo e deixava a coitada a ver navios, cheia de tesão, doida por uns peguinhas...rs. 
Acredito que para matar essa vontade, ela topou sair conosco para fazermos uma festinha a três, na casa dele.
Ela já era uma senhora de meia idade, com seus 50 anos, por aí.
Com a pele branca, cabelos pintados de ruivo, baixinha,  mas com uma bundinha tesuda, os seios gostosos e com um quê de safada escondido no rosto. 
Na noite do tal encontro, Júlio* passou em casa para me buscar antes e enquanto ela se aprontava, paramos para tomar uma cervejinha.
Ele já estava bem animado com a história. Sempre comentamos de sairmos a três e essa possibilidade o deixava excitado além da conta.
Eu, apesar de adorar sair com mulheres, sempre fico meio apreensiva quando sei que a mulher em questão nunca praticou o bi feminino antes. Não tenho muita paciência para ficar ensinando nada e aturar receios de certas moças.
No caso específico de Ana, ao conhecê-la , já percebi que só topou a brincadeira por ter real interesse em Júlio, não por tesão ou interesse em estar na cama com outra mulher e que eu seria um mero obstáculo a ser enfrentando na situação...rs.


Eu, chupando a xotinha dela..huuum.

Depois que a pegamos em casa, durante o percurso e assim que chegamos os três na casa dele, vi que ela estava extremamente empolgada com o retorno da atenção do moço, me falando que sempre saiam antes, mas que agora que ele estava 'namorando' havia deixado de procurá-la, que ele deveria voltar a ser solteiro, pois estava morrendo de saudade e vontade de retomar o contato e as 'brincadeirinhas'.
Eu muito da sorrateira, me sentei no sofá e fiquei observando a postura saltitante dela e, o que me pareceu ser um ligeiro desconforto dele com a situação, sumindo cozinha adentro para abrir uma garrafa de vinho enquanto ela o perseguia pela casa. Uma situação, deveras, engraçada e excitante. 
Ele nos serviu o vinho e ficamos os três bebendo e conversando despretensiosamente. 
Ela, meio desconcertada com a situação também, mesmo morrendo de vontade de atacá-lo, saiu para ir ao banheiro. Nesse meio tempo, eu e ele nos atracamos no sofá, como de costume, aos beijos e mãos passeando por todos os lados. Quando ela voltou e nos viu daquela forma, sentou-se ao lado dele e ficou olhando, sem saber como entrar na brincadeira. Eu como boa anfitriã que sou e adoradora da divisão de macho...kkkkk...guiei a mão da colega até o pau duro que já estava fazendo volume na roupa de Júlio. Ele ao sentir o toque, já se virou para beijá-la enquanto apertava o bico do meu seio com uma das mãos. 
Me levantei, tirei o meu jeans e fiquei somente de blusa e calcinha fio dental. Aproveitei para admirar a cena: aquele homem gostoso, safado e fogoso, satisfazendo as taras daquela mulher.



Para quem não sabe, eu sou meio corninha...hahahhaah!
Tenho uma tara enorme em ver o homem que está comigo satisfazendo outra mulher. Quando eu tenho algum sentimento pelo cara, sinto tesão também em vê-lo com outra, mas a outra em questão, tem que ser uma mulher que não está na relação e que não signifique nada para ele. Admito que ele sinta tesão por ela, que coma gostoso, bem safado e a deixe bem satisfeita, relaxada. Mas que ela tenha consciência: ele é gostoso, é safado, trepa bem, mas é meu!! 
Só empresto!! Rs...
Repetindo: não ligo a mínima se o meu homem comer outra. Mas é claro, a condição essencial para essa situação: eu tenho que estar presente..kkkk! 
Voltando a sala, Ana, safadinha, logo tirou o pau duro de Júlio pra fora da calça e começou a chupar com vontade e pressão e ele a beijava entre uma mamada e outra.
O vi tirando os peitos dela pra fora da blusa e segurá-los...os seios branquinhos, pontudos e de bicos bem escuros. Não era uma mulher dessas de capa de revista, mas pela idade, tinha tudo no lugar e era bem gostosa.
Um tesão observar os dois juntos, fazendo safadezas.
Mas como a condição descrita acima estava valendo, Júlio logo me convidou para a brincadeira, me puxando e beijando, me pegando pela bunda. 
Enquanto ele sentado no sofá estava se deliciando com a chupeta oferecida por Ana, eu mais que rapidamente, me livrei da minha calcinha e encaixei a buceta na sua boca, ficando em pé no sofá. Ele passava a língua no meu grelo, chegando certa hora até a mordê-lo devagar e passava o dedo no meu cu.
Minha xota estava melada e ele se esbaldou com duas mulheres lhe servindo.
Mas claro, que ele fazia questão de ver outra brincadeira...rs.


Ana me chupando gostoso!

Por isso, sussurou pra mim: 
- Vai lá, beija ela!
Ela, toda entretida, mamando aquela rola delícia, nem percebeu quando eu me ajoelhei ao lado dela no chão. Logo passei a mamar a rola também. Primeiro dei uma boa lambida nas bolas do rapaz, para satisfazer minha tara e fui subindo em direção a cabeça, passando a língua no pau e nas veias. 
Ela tirou a boca quando eu cheguei perto e passou a lamber as coxas de Júlio.
Eu , para trazê-la pra perto, virei e comecei a lambendo seu rosto, que estava bem próximo, com a ponta da língua. Nessa hora, acho que ela entendeu o recado e se chegou e passamos a dividir a rola daquele macho.
Daí em diante, passamos a lamber e babar juntas naquele pau em nossa frente. Eu levantava o olhar e via Júlio com um sorriso discreto no rosto, enquanto curtia sua dupla chupetinha. Eu nesses momentos, aproveitava e roubava uns beijos da boca de Ana, com o pau dele no meio. Até que a peguei diretamente e pude sentir o seu corpo. 
Fomos os três para o quarto e a pedido de Júlio, me deixei na cama, pelada e com as pernas arreganhadas. A buceta escorrendo mel de tanto tesão. Ele pegou e retirou o resto das roupas de Ana, dentre elas , uma calcinha minúscula, safada que ela escondia por baixo. Ela gemia gostoso com os carinhos que recebia e com a chupadinha na bunda que ele ofertou.
- Vamos chupar , vem! - ele disse para ela e foi entrando no meio das minhas pernas com a língua para fora, com ela acompanhando. Ele, em frente a minha buceta, passava a língua e a beijava, dividindo o meu gozo.



Eu gemi com aquela língua quente e tímida com que ela me chupava. Ana demorou um pouco para pegar o rítmo...rs. Ficava me passando a língua com certa timidez ou receio, não sei, mas gemia gostoso quando o fazia.
Bom....eu, mas experiente na história de bi feminino, me levantei e com ela deitada em meu lugar, passei a chupar seu grelo. Ela tinha uma buceta com lábios gostosos, um grelinho miúdo, mas que estava durinho, gostando da brincadeira. 
Passei a língua pelo cuzinho e fui subindo até abocanhar aquela xotinha inteira.
Ela gemia de tesão.
Mas não pensem que eu esqueci aquela lambidinha meia boca que ela deu na minha xota, passando só a pontinha da língua...rs. 
Ah, sou adepta da terapia de choque e já que ela estava na chuva, teria que se molhar...rs. Para provar do homem que estava comigo, ela teria que me provar também...rs.
Sem nem pensar duas vezes, me levantei na cama, virei ao contrário e sentei com vontade na boca da dela. Pus sua cabeça no meio das minhas pernas e esfregava com vontade minha xota e cuzinho liso em sua boca e rosto.
Querendo ou não, naquele dia, ela soube o gosto da buceta de outra mulher.
E acho que ela gostou. Porque ela me chupou tão gostoso, tão profundo...
Metia a língua lá dentro e segurava minha bunda, abrindo pra ir mais fundo.
Meio desajeitada, mas de um jeito muito gostoso.
Para retribuir, me deitei sob o seu corpo e iniciamos um 69 maravilhoso.
Ela chupando a minha buceta e eu a dela, gemendo e nos contorcendo de tesão.
Júlio, oportunista que só, ao vê-la de pernas abertas na beirada da cama, depressa colocou a camisinha e passou a enfiar a rola na bucetinha dela.
A danadinha gemeu ao sentir a cabecona passando na xota, enquanto eu via tudo isso do camarote vip. De pertinho, lambia o grelinho dela e Júlio, entre uma metida e outra, me dava a cabeça do seu pau para eu provar. 
Ela entregue ao macho, já esqueceu da minha xota e eu para relembrar, me levantei e sentei novamente na sua boca...kkkkk, sufocando os gemidos da colega, que aí sim,  passou o rodo lá embaixo, me deixando tesuda demais. 
Eu olhava, de frente para o rosto do Júlio, que fazia uns bicos e mordia constantemente os lábios, ao meter com força na buça da Ana. 
Uma imagem maravilhosa de ver.


Leitinho!

Depois ele largou a moça e me comeu de 4, com ela por baixo, vendo o pau dele entrar e sair da minha buceta. 
E depois de muita meteção, trocamos a posição de novo. Eu deitei por baixo dela, com a cabeça pra os pés da cama e Ana montou no meu rosto. Ficava de quatro enquanto Júlio meteu gostoso nela e eu embaixo lambendo tudo, sentindo o saco dele bater na minha cara enquanto comia aquela buceta.
Ela gemia gostoso e rebolava com vontade naquele pau que ela tanto queria.
E a safada gozou tanto, mas tanto, que me surpreendeu. 
Depois de um bom tempo metendo na buceta de Ana, Júlio tirou o pau e eu passei a chupar a xota daquela puta com gosto. Queria sentir a buceta dela melando, o gosto do seu gozo, quando a safada sentou na minha boca, levantou um pouquinho e soltou um esguicho de gozo na minha cara. Foi um esguicho forte, líquido, rápido, que molhou meu rosto, meus cabelos e entrou na minha boca. 
Eu já havia ouvido falar e visto em filmes sobre a ejaculação feminina, ou squirt, como muitos chamam mas nunca tinha provado e fiquei louca com aquilo. 
Quando ela esguichou eu automaticamente enfiei a lingua na xota dela pra sorver tudo que ela tinha pra me dar e o Júlio me seguiu. Batendo uma punheta gostosa, passou a lamber a bunda e buceta dela junto comigo.
Louco de tesão, ele meteu mais um pouco nela e disse que iria gozar. 
Nessa hora, nós duas fomos ficamos de 4 na cama, com a boca bem perto da rola dele, esperando os jatos começarem, disputando pra ver quem era mais gulosa. Quando a porra saiu, Júlio começou a distribuir o leitinho quente entre a boca dela e a minha, mas eu, ao sentir o gosto, abocanhei a cabeça do pau e tomei praticamente todo o restante.
Confesso que deixei um pouquinho na boca pra ela. Rsrs...A beijei e derramei a porra com a minha baba na boca dela, bem safada. 
Ana se comportou como uma lady e ao fim disse que curtiu muito a nossa transa a três. 
Mas eu que não sou boba nem nada, percebia a cada olhar e a cada frase, que ela queria mesmo, era ter estado sozinha com o meu bofe.
Eu disse bem: queria! No passado!!
Foi a primeira e última vez de nós três juntos...rs!

*Foram usados nomes fictícios.


MAIS FOTOS EM:



CONTATO: vennusmorena@gmail.com

BEIJOS E PODEM COMENTAR A VONTADE, HEIN ??

3 comentários:

  1. sua linda espero um dia conseguir conversar com vc linda? to no D4 Klebão Grandão bjaooo

    ResponderExcluir
  2. Delicioso...imagino a satisfação do Júlio...experiência maravilhosa!
    PS. sou o adorador_secreto do sexlog...beijos mil....

    ResponderExcluir