quarta-feira, 20 de março de 2013

SÉRIE EXIBIDINHA APRESENTA: 'O TÉCNICO DA NET'

SÉRIE 'EXIBIDINHA'



O TÉCNICO DA NET


Depois de um assalto em casa, o meu pai, antes de se mudar, transformou a casa em uma fortaleza. Muros altos, portões, grades....tudo isso para tentar impedir novas surpresas. Essa atitude do meu pai, fez com que hoje, como moro sozinha, eu tenha a liberdade de andar bem a vontade em casa em dias de extremo calor. Geralmente, fico assim andando dentro de casa e também no quintal interno, afinal, seria praticamente impossível alguém me ver passeando nua em pêlo ali dentro! (Assim, eu pensava!!)
E foi assim, que  num dia de muito calor, após sair de um banho gostoso e de me enxugar, fui até o quintal interno para pendurar a toalha molhada no varal. Como sempre, nem me dei ao trabalho de colocar um roupão, camiseta ou nada do tipo. Sai peladinha, como vim ao mundo. Despreocupada. Mas qual não foi a minha surpresa, quando ao levantar o olhar para o varal, olhei em direção ao poste, que fica na calçada lateral de casa (moro numa esquina) e vi um técnico da Net, em cima da escada, quase rente ao muro de casa (que tem 3 metros de altura, acho). Ele estava entretido com seu trabalho, sem olhar para dentro do quintal. No primeiro minuto, tive o impeto de me cobrir e de entrar pra dentro da sala rapidamente, mas antes que eu pudesse fazer qualquer uma das duas coisas, ele me viu. Olhou de relance, e parecia não acreditar. Depois arregalou os olhos e no primeiro momento, pareceu constrangido, mas a minha diabinha interior, começou a me cutucar, dizendo que tinha ficado bem excitada com a situação. Realmente. Só de ver o olhar dele em minha direção fez a minha xana pulsar forte. Já era! Ali, eu percebi que a preocupação em ter sido flagrada por aquele homem, desapareceu. E ele, como viu que eu não me escondi, continuou a me encarar, sorvendo cada detalhe possível daquela visão. Foi aí que eu decidi me exibir. Iria fazer um showzinho para o coitadinho do técnico, tão trabalhador!! Rs...
Deixei certos pudores de lado e resolvi me divertir um pouquinho!!
Me fiz de desentendida e comecei a passar as palmas das mãos pelas laterais do corpo e rodopiando devagar o quadril, dançando uma música inexistente. Passava a ponta dos dedos nos bicos dos seios, depois os apertava entre dois dedos e fazia uma cara de tesão, olhando pra ele. Juntei os seios e os balançava, para que chacoalhassem como se eu estivesse numa transa frenética. A boca daquele homem ia ficando cada vez mais aberta.
Eu já sentia um molhadinho descer entre as minhas pernas e imaginava aquela homem pulando o muro e me pegando com vontade. Fechava os olhos e imaginava, enquanto rebolava. Me esqueci que estava em casa, me esqueci de tantos cuidados e pudores que eu sempre tenho em respeito a misturar o meu lar com as minhas pequenas putarias. Virei de costas, me alisava constantemente e desci as mãos em direção a minha bunda. Enchi a mão e abri o rabo, separando, deixando meu rabinho levemente exposto. E numa espiadela, vi que o moço chegou mais perto do muro, com o corpo meio pra fora da escada e o rosto fixo em direção ao quintal. Rebolava insistentemente. Me virei para olhar direito para ele, que estava mais próximo agora e o vi sorrindo. Um sorriso de homem sacana, surpreso. E percebi pelo movimento dos seus lábios, que ele me chamava de gostosa, sem emitir som nenhum, talvez para evitar que os transeuntes o escutassem. Aquilo me deixou mais tesuda ainda. Minha buceta estava quente, pulando e pedindo para ser penetrada. Mas, eu sabia que aquilo terminaria ali. Sabia que aquele espetáculo particular iria acabar daquele jeito. E antes de fechar as cortinas e sair de cena, desci o meu dedo em direção a xota, para sentir a sua temperatura e sorver o melado que escorria. Com uma das mãos separei a buceta e com a outra, introduzi o dedo nela. Estava latejante, muito úmida, expelindo todo meu tesão, resultado daquela pequena exibição. Não resisti e levei o dedo a boca, para sentir o gosto da aventura. Gosto delicioso. 
Pela última vez, levantei o rosto para o homem, que estava suado debaixo daquele solão, ainda de olhos arregalados e sorriso no canto da boca. Não sei se do ângulo que ele estava, se conseguiu acompanhar toda a performance, mas com certeza, deixei-o cheio de tesão, porque ele nem piscava!! Olhei-o e também soltei um sorrisinho sacana. Mandei um beijinho solto no vento e fui rebolando propositalmente em direção a porta da sala, deixando meu espectador com a cabeça pendurada para dentro do muro. Rs...

Gostaram da primeira história da série 'Exibidinha' ?? Comentem!!

Beijos a todos!

Mais fotos em www.sexlog.com.br/vennus2012


3 comentários:

  1. como pode não haver comentários amor vc deve ser de mais em fiquei com muito tesão

    ResponderExcluir
  2. Paixão, se fosse eu, talvez não teria a mesma, calma desse cara, pularia o muro e tornaria esse conto uma realização para mim. Nunca tive a sorte de ter uma exibição assim para mim..Linda vc é maravilhosa, ainda tenho esperança de te encontrar..bj

    at. Garoto Levado

    ResponderExcluir
  3. Vamos dar continuação a esse conto,sou negro 1.87 técnico da net.posso encostar minha escada e pular e realizar mais um delicioso conto pra contar no blog.sou tarado por mulheres com volume aos meus olhos VC é perfeita.tenho perfil sexlog eddiemurphy me visita pode ser o começo de uma bela amizade.li alguns conto seu tenho certeza que só meu nome vai ti trazer boas lembrança, me chamo Tiago muito prazer

    ResponderExcluir